Conceptos Categóricos

INDICADORES DE QUALIDADE DE VIDA DOS IDOSOS DA <I>(CALIDAD DE VIDA DE LOS ENFERMOS DE UNA)</I> COMUNIDADE DE UMA ALTA ÁREA URBANIZADA DA REGIÃO DA AMAZÔNIA BRASILEIRA - Red Científica Iberoamericana (RedCIbe)

Red Científica Iberoamericana

INDICADORES DE QUALIDADE DE VIDA DOS IDOSOS DA (CALIDAD DE VIDA DE LOS ENFERMOS DE UNA) COMUNIDADE DE UMA ALTA ÁREA URBANIZADA DA REGIÃO DA AMAZÔNIA BRASILEIRA

Tábada Samantha Marques Rosa1,Euler Esteves Ribeiro2,Kennya Márcia dos Santos Mota3,Vanusa do Nascimento4,Fernanda Barbisan5,Elorides de Brito6,Ednea Aguiar Maia-Ribeiro7,Aron Ferreira da Silveira8 y Ivana Beatrice Mânica Da Cruz9
1Kinesióloga, Fisioterapeuta, Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, Brasil
2Médico, Universidade do Estado do Amazonas, Manaus, Brasil
3Serviço Social, Pontificia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, Brasil
4Enfermero Graduado, Universidade Aberta da Terceira Idade - UnATI/UEA, Universidade do Estado do Amazonas, Manaus, Brasil
5, Ciências Biológicas, Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, Brasil
6Enfermera Graduada, Universidade do Estado do Amazonas, Manaus, Brasil
7Médica, Universidade do Estado do Amazonas, Manaus, Brasil
8Médico Veterinário, Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, Brasil
9, Ciências Biológicas, Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, Brasil

Santa Maria, Brasil (SIIC)

O WHOQOL-Bref é largamente usado para avaliar a qualidade (es ampliamente utilizado para evaluar la calidad) de vida. Este estudo estimou a prevalência de idosos com qualidade de vida baixa e a avaliação da associação com as (la prevalencia de enfermos con calidad de vida baja y la evaluación de la asociación con las) variáveis sócio-culturais, econômicas e de saúde.

O envelhecimento faz parte do desenvolvimento (El envejecimiento es parte del desarrollo) humano natural, aumentando o risco de disfunção e doenças na população idosa (el riesgo de disfunción y las enfermedades en los ancianos).1,2 Portanto, os idosos experimentam redução das funções físicas e mentais e, consequentemente, apresentam maior probabilidade de sofrer de (son más propensos a sufrir) múltiplas morbidades de saúde. A aceleração do processo de envelhecimento pode estar associada a fatores de saúde, ambientais e sociais, incluindo a percepção da qualidade de vida pelos idosos (incluyendo la percepción de la calidad de vida por los ancianos).3
A Organização Mundial da Saúde (OMS) definiu qualidade de vida como a percepção do indivíduo sobre sua posição na vida no contexto da cultura e do (su posición en la vida en el contexto de la cultura y del) sistema de valores que habita, em relação às expectativas, padrões e preocupações (en relación con las expectativas, los patrones y las preocupaciones).4,5 Para avaliar alguns indicadores desse conceito com base na (Para evaluar algunos indicadores de este concepto sobre la base de la) própria definição de saúde e interpretação, a OMS desenvolveu instrumentos fáceis e não onerosos (fáciles y no costosos) [Grupo de Qualidade de Vida da Organização Mundial de Saúde (WHOQOL Group), incluindo o WHOQOL-Bref].6

O WHOQOL-Bref tem sido amplamente utilizado para avaliar a qualidade de vida composta por cinco escalas de resposta estilo Likert. Essa escala avalia três aspectos essenciais: subjetividade, multidimensionalidade e presença de dimensões positivas e negativas em suas características particulares.7-9 Apesar do WHOQOL-Bref fornecer uma avaliação global da qualidade de vida, apenas recentemente um ponto de corte foi fornecido (se proporcionó un punto de corte) por Silva et al.10
O Brasil é um país sociocultural diverso que apresenta aspectos específicos entre suas diferentes regiões geográficas. Os idosos que vivem na região Norte do Brasil são incipientes e devem ser realizados para apoiar políticas públicas de saúde. Por esse motivo, um projeto epidemiológico envelhecido denominado Projeto Idoso da Floresta Amazônica foi implementado em 2006 dos idosos inseridos na Estratégia Saúde da Família (ESF), programa público de saúde brasileiro, que moram na área mais urbanizada do Amazonas (que viven en el área más urbanizada del Amazonas) (Manaus) e em idosos ribeirinhos (y en ancianos ribereños) que vivem na cidade de Maués. A comparação entre idosos urbanizados e ribeirinhos mostrou que os idosos urbanizados apresentam uma prevalência semelhante de indicador epidemiológico do que os observados em otras (que los observados en otras) regiões, que são áreas desenvolvidas econômicas e socioculturais.11,12

O presente estudo analisou os dados de linha de base do (analizó los datos basales del) Projeto Idosos da Floresta Amazônica, um estudo de coorte de base populacional de idosos (> 60 anos) no Amazonas, Brasil.11 A Diretoria de Ética da Universidade do Estado da Amazônia já aprovou este projeto e todos os sujeitos assinaram o Termo de Consentimento (ya ha aprobado este proyecto y todos los sujetos firmaron un formulario de consentimiento). O estudo envolveu a população idosa que vive em Manaus, Amazonas e Nordeste do Brasil; contava com 1 646 602 habitantes em 2007, sendo uma área altamente urbanizada da Amazônia, e a 8ª cidade mais populosa do Brasil. Em 2007, as principais causas de morte dos idosos nesse município foram doenças cardiovasculares, respiratórias e neoplasias; a taxa de mortalidade infantil até os cinco anos de idade foi de 21.26/1000 crianças, a taxa de fecundidade foi de 3.74 criança/mulher (niños, la tasa de fecundidad fue de 3.74 niño/mujer). O presente estudo analisou os dados de linha de base do (analizó los datos basales del) Projeto Idosos da Floresta Amazônica, um estudo de coorte de base populacional de idosos (> 60 anos) no Amazonas Brasil.11 A Diretoria de Ética da Universidade do Estado da Amazônia já aprovou este projeto e todos os sujeitos assinaram o Termo de Consentimento (de la Amazonia ya ha aprobado este proyecto y todos los sujetos firmaron un formulario de consentimento). O estudo envolveu a população idosa que vive em Manaus, Amazonas e Nordeste do Brasil; contava com 1 646 602 habitantes em 2007, sendo uma área altamente urbanizada da Amazônia, e a 8ª cidade mais populosa do Brasil. Em 2007, as principais causas de morte dos idosos nesse município foram doenças cardiovasculares, respiratórias e neoplasias; a taxa de mortalidade infantil até os cinco anos de idade foi de 21.26/1000 crianças, a taxa de fecundidade foi de 3.74 criança/mulher (niños, la tasa de fecundidad fue de 3.74 niño/mujer). O Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) foi de 0.788, o que representou desenvolvimento moderado e a expectativa de vida foi de 67.7 anos, menor que a do (menor que la de) Brasil (71.2 anos). A população de Manaus é uma mistura muito étnica, composta principalmente por povos (La población de Manaos es una mezcla étnica, en su mayoría compuesta por pueblos) indígenas sul-americanos (indígenas), europeus (principalmente portugueses) e africanos. Mais recentemente, outras populações, especialmente árabes, judeus e japoneses imigraram para Manaus e agora fazem parte dessa cidade (y ahora son parte de esa ciudad). O número representativo de idosos da amostra foi calculado em 1680 indivíduos (1420-1735). O estudo tentou coletar dados da proporção (El estudio trató de recoger datos sobre la proporción) masculino/feminino de 1:1, apesar de existir alta frequência de mulheres do que homens, na população idosa de Manaus.

A coleta de dados foi realizada no domicílio de idosos por profissionais de saúde treinados (La recolección de datos se llevó a cabo en el hogar de los ancianos por profesionales de la salud capacitados ) (n = 70). Cada entrevistador incluiu 24 idosos de duas diferentes UBS. Os entrevistadores foram acompanhados pelo agente de saúde que frequentava regularmente os idosos (por el agente de salud que asistía regularmente a los ancianos) incluídos no estudo. Os idosos que não foram entrevistados por déficit cognitivo ou por algum outro motivo de saúde foram excluídos da análise da amostra, uma vez que o WHOQOL-Bref inclui algumas questões pessoais que exigiam uma afirmação subjetiva.

A variável dependente do presente estudo foi a qualidade de vida avaliada pelo (fue la calidad de vida evaluada con el) WHOQOL-Bref previamente validada para o português brasileiro.7 As seguintes variáveis da entrevista de base foram comparadas entre os grupos de idosos PLQ e RGLQ: (1) características sociodemográficas (idade, sexo, estado civil, escolaridade e renda mensal [ingreso mensual]); (2) estilo de vida (atual situação de tabagismo e [tabaquismo actual y] atividade física); (3) autoavaliação da saúde nos últimos 6 meses (incluindo a presença de hipertensão, diabetes tipo 2, obesidade, doenças coronarianas, acidente vascular cerebral, câncer e doenças reumáticas); (3) imunizações anuais; (4) e quedas e fraturas nos últimos [y caídas y fracturas en los últimos] seis meses. A abordagem de autorrelato dos dados de saúde tem sido bem documentada como um preditor confiável (El enfoque de autoinforme de los datos de salud ha sido bien documentado como un predictor fiable) de incapacidade funcional e mortalidade em populações idosas;13 (5) indicadores dos serviços de saúde (consultas médicas nos últimos 12 meses e internações nos últimos 12 meses).

Todas as análises foram concluídas usando o pacote (Todos los análisis se completaron utilizando el paquete) estatístico para estudos sociais (SPSS) versão 17.0 (SPSS Inc., Chicago, IL). Testes qui-quadrado e testes T foram conduzidos para examinar as diferenças nas características sociodemográficas e clínicas dos grupos de idosos PLQ e RGLQ. As causas autorreferidas de hospitalização e os dados dos prontuários foram correlacionados com a correlação não paramétrica (y los datos de los registros se correlacionaron con el coeficiente no paramétrico) de Spearman. O valor alfa considerado foi p = 0.05.

De 1509 idosos entrevistados, 1431 (94,8%) responderam ao instrumento WHOQOL-Bref. A idade média da amostra foi de 70.9 ± 7.6 anos. A Tabela 1 apresenta as características basais dos idosos (las características basales de los ancianos) investigados aqui.
Uma alta prevalência de hipertensão, diabetes e distúrbios reumáticos foi relatada pelos idosos estudados (Tabela 2). O diagnóstico, prescrição médica e orientação foram realizados pelo serviço de saúde (la orientación se llevaron a cabo por el servicio de salud).







Um total de 229 (16.4%) idosos relataram estar hospitalizados nos últimos dez anos e 432 (30.2%) relataram cair nos últimos cinco anos e 105 relataram apresentar alguma fratura devido á queda. Nos idosos que relataram experimentar queda (han informado una caída en los últimos cinco años y 105 reportaron presentar alguna fractura debido a la caída. En los ancianos que relataron experimentar alguna caída), 154 caíram em casa. Uma excelente visão foi autorreferida por 3 (6.6%), uma visão muito boa por 351 (24.8%), uma visão regular por 447 (31.2%), uma visão deficiente por 498 (35.2%) e uma visão muito pobre incluindo cegueira por 24 (1.7%) dos idosos. Uma excelente audição foi autorreferida por 983 (68.7%), uma audição muito boa por 160 (11.2%), uma audição regular por 163 (11.5%), uma audição ruim por 95 (6.6%) e uma audição muito ruim por 10 (0.7%) dos idosos incluídos no estudo.

A distribuição de frequência absoluta e os percentis de escores do (La distribución de frecuencia absoluta y los percentilos de puntuaciones del) WHOQOL-Bref foram inicialmente determinados e estão apresentados na Figura 1. A média do escore do WHOQOL-Bref foi de 87.9 ± 11.6 pontos com mínimo de 26 e máximo de 130 pontos. A partir dessa análise, a prevalência de PLQ foi de 6.1% (n = 88) e o RGLQ foi de 93.9% (n = 1342).



A Tabela 3 apresenta um resumo dos resultados considerando cada questão do WHOQOL-Bref. As questões mais frequentes de resposta pobre foram sobre o dinheiro para atender as necessidades e oportunidades de atividades de lazer (Las preguntas más frecuentes con la respuesta pobre fueron sobre el dinero para atender las necesidades y oportunidades de actividades de ocio) dos idosos; satisfação com a vida sexual e transporte.


Tabela 3

Houve alta frequência de idosos com (Hubo una alta frecuencia de ancianos) acidente vascular cerebral (p = 0.0001) no grupo PLQ e RGLQ (Figura 2). Outras doenças crônicas também foram comparadas entre os grupos, como hipertensão arterial (p = 0.009), diabetes tipo 2 (p = 0.0001), doenças cardiovasculares (p = 0.039). Em relação às queixas, os idosos relataram alta frequência de visão muito ruim/ruim (Con respecto a las quejas, los ancianos informaron una alta frecuencia de muy mala/mala visión) (p = 0.0001) e audição (p = 0.0001).




Quando os idosos foram categorizados pelo ponto de corte do WHOQOL-Bref proposto por Silva et al.,10 foi observada associação significante com apenas uma variável sociocultural e várias morbidades, indicando que esse ponto de corte é realista para identificar idosos com impacto na qualidade de vida. O estado civil esteve significativamente associado à categorização da qualidade de vida. No caso, a maior freqüência de viúvas foi observada no PLQ do que no grupo de idosos RGLQ (En el caso, se observó la mayor frecuencia de viudas en el grupo CVP que en el grupo de ancianos RGCL). Fried,14 considerando o estado civil como preditor de longevidade não modificável (predictor de longevidad no modificable). Idosos que vivem sozinhos poderiam ter mais chance de apresentar morbi-mortalidade do que os idosos que vivem em família ou com seus cônjuges (viven en familia o con sus cónyuges). Os resultados aqui encontrados corroboram indiretamente a sugestão de que o estado civil pode ser um preditor de longevidade, uma vez que a janela apresenta menor pontuação do (una vez que la ventana presenta una puntuación menor en el) WHOQOL-Bref.

A qualidade de vida é um aspecto importante no diabetes, pois a baixa qualidade de vida leva à diminuição do autocuidado, o que leva a piora do (porque la baja calidad de vida lleva a la disminución del autocuidado, lo que lleva a empeorar el) controle glicêmico, aumento dos riscos de complicações e exacerbação do diabetes, tanto a curto como a longo prazo (tanto en el corto como em el largo plazo). Um estudo realizado por Jain et al.15 também encontrou associação com a baixa qualidade de vida medida pelo WHOQOL-Bref e diabetes tipo 2 em pacientes indianos. Outra investigação que pode ser considerada foi realizada por Martínez et al.,16 que incluiu 238 pacientes diabéticos mexicanos. Huang et al.17 também descreveram associação entre preditores de qualidade de vida com comportamentos de autocuidado, situação econômica e frequência de internação. Uma investigação recente realizada por Tchicaya et al.18 de pacientes diabéticos submetidos à angiografia coronariana mostrou que pacientes que relataram perda de peso e sem alteração de peso foram positivamente associados com alto escore de qualidade de vida quando comparados com pacientes com ganho de peso (pacientes que informaron la pérdida de peso y ninguna variación de peso se asociaron positivamente con altas puntuaciones de calidad de vida comparados con los pacientes con aumento de peso). O estudo realizado por Khosravi et al.19 descreveu uma associação negativa entre cada domínio da QV relacionada à saúde e a pressão arterial sistólica após ajuste para variáveis sociodemográficas (relacionada con la salud y la presión arterial sistólica después de ajustar por variables sociodemográficas). O estudo conduzido por Jeong et al.20 incluiu 422 pacientes com AVC: sofrimento psicológico e função cognitiva prejudicada foram associados com (angustia psicológica y deterioro de la función cognitiva se asociaron com) menor QV em pacientes com AVC agudo.

Por outro lado, Najafi et al.21 examinaram a validade do WHOQOL-Bref em 275 pacientes com Doença Arterial Coronariana (DAC). No entanto, os resultados sugerem que o WHOQOL-Bref pode ser apenas uma medida da qualidade de vida global em pacientes com DAC.

Apesar do grande número amostral de idosos incluídos no presente estudo, trata-se de uma investigação transversal (A pesar del gran número de ancianos incluidos en el presente estudio, se trata de una investigación transversal) e, por esse motivo, os resultados precisam ser interpretados com cautela. Para o nosso melhor conhecimento, esta é a primeira investigação sobre a qualidade de vida de idosos que vivem na região tropical amazônica brasileira.
Por fim, os resultados aqui descritos confirmam que o ponto de corte do WHOQOL-Bref descrito por Silva et al.10 são confiáveis (Finalmente, los resultados descritos en este documento confirman que el punto de corte WHOQOL-Bref descrito por Silva et al.10 son confiables) para detectar idosos com baixa qualidade de vida devido a morbidades crônicas prévias altamente prevalentes na população, como hipertensão e diabetes tipo 2.



ua51717
-->